terça-feira, 29 de agosto de 2017

FILME: A Cabana



Olá fraternos!

A dica de hoje foi dada nos 15 minutos pela FUJovem Alcione que preparou um resumo do filme,baseado no livro de mesmo nome,  para todos que tiverem interesse de se surpreender com essa obra:

 A Cabana” apresenta a jornada espiritual de um pai, depois de sofrer uma tragédia familiar, entra em uma profunda depressão, que o faz questionar suas crenças, questionar Deus. A Cabana conta a história de Mackenzie Allen Phillips, que durante muito tempo viveu imerso em um mar de dor e sofrimento ocasionado pelo sequestro e morte de sua filha mais nova, o seu corpo nunca foi encontrado, mas sinais de que ela teria sido violentada e assassinada são encontrados em uma cabana nas montanhas. Diante de uma crise de fé, ele recebe uma carta misteriosa que o convida para ir a uma cabana abandonada no deserto. Apesar das suas dúvidas, Mack vai à cabana e encontra um e grupo de estranhos liderados por uma mulher chamada Papa. Por meio deste encontro, Mack encontra verdades significativas que irão transformar o seu entendimento sobre a tragédia que abalou sua família e sua vida mudará para sempre.
 

Esse filme nos faz repensar na nossa confiança nos nossos amigos espirituais e lidar melhor com as adversidades da vida, sempre aceitando que há muitos detalhes que não sabemos explicar porém tudo tem um porque na nossa jornada evolutiva.

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

LIVRO: Vencendo o Passado



Olá Fraternos! 


Neste envolvente romance, Zíbia Gasparetto conta a história de Carolina e Sérgio, um jovem casal obrigado a enfrentar as imposições familiares no início do relacionamento. O engenheiro Augusto Cezar Monteiro trata os filhos Carolina e Adalberto com extremo rigor, planejando a vida deles com base em seus próprios princípios e conceitos, sem considerar as suas vontades e opiniões. Ernestina, esposa de Augusto e mãe dos dois jovens, embora não concorde com as atitudes do marido, é incapaz de contestá-lo ou enfrentá-lo, não obtendo, assim, o respeito dos filhos. Os laços espirituais, que os uniu em uma mesma família, são revelados no decorrer da história, mostrando como a vida trabalha em favor do progresso de cada um.

"Os problemas mal resolvidos do passado influenciam o presente, impedindo nossa confiança no futuro, inibindo nossa ousadia, limitando nosso progresso. Entendendo nossos pontos fracos, que lhes deram origem, teremos como melhorar nossas atitudes e vencer as influências que nos prejudicam", orienta a autora.

Zibia Gasparetto explica que poderemos "vencer" o passado quando deixarmos de culpar os outros pelos nossos infortúnios, compreendendo que cada um é responsável por sua própria vida e por tudo o que acontece para si.

"Em vez de enxergar os erros dos outros e tentar mudar as pessoas, temos de mudar a maneira de nos relacionarmos com elas, abrindo as portas para o diálogo e para a compreensão. Nós não temos o poder de mudar as pessoas, mas podemos mudar as nossas atitudes com relação a elas", ensina.

As narrativas de Zibia Gasparetto proporcionam uma reflexão acerca dos nossos relacionamentos, impulsionando a repensar a vida e buscar a felicidade espiritual.

"Enquanto a alma estiver refém de suas lembranças inconscientes, sem identificá-las como negativas ou positivas para que possa educá-las, não conseguirá romper o sansara ao qual se mantém ligada".
(Mranzã Singom)


quarta-feira, 23 de agosto de 2017

FILME: Até o Ultimo Homem


Olá Fraternos! 

A dica de hoje é o filme  ‘‘Até o ultimo homem’’, foi indicado pela nossa fraterna Laíse Lima e ela trouxe um pouco do que gostou e o que o filme a fez refletir: 

“Durante a Segunda Guerra Mundial, o médico do exército Desmond T. Doss se recusa a pegar em uma arma e matar pessoas, porém, durante a Batalha de Okinawa ele trabalha na ala médica e salva mais de 75 homens, sendo condecorado. O que faz de Doss o primeiro Opositor Consciente da história norte-americana a receber a Medalha de Honra do Congresso.” (Site Filmow)

À princípio parece ser um filme comum de guerra, mas é surpreendente ver como a história se desenrola em algo muito além disso: temas como crença e perseverança são abordados em um filme de cunho verídico sobre parte da vida do soldado Desmond T. Doss. 

Quando se observa com os olhos da espiritualidade, percebe-se como Doss foi programado de maneira tão forte na sua coordenada em que devia ajudar os companheiros de guerra, que o mesmo não se deixou influenciar a pegar em armas e ser um soldado comum. Ele, de alguma forma, sabia o que devia ser feito e persistiu, enfrentou com dignidade as dificuldades que passou – os companheiros não o aceitavam, seu líder não o aceitava, entre outros – e fez o que devia ser feito. 

O filme, no geral, é uma reflexão para todos.